Em 1992, o magnata e empresário americano Bill Gates, previu que as pessoas não estariam mais vinculadas 100% à comunidades físicas, alegando que iriam se expandir para novos fluxos de comunicação.  Surgiu então, o termo METAVERSO, o qual foi abordado em uma obra de ficção chamada “Snow Crash”, escrita por Neal Stephenson (1992), na qual os personagens do livro usavam o metaverso para fugir da realidade, vivendo através de seus avatares.

 

Cerca de 30 anos depois, esse tema “metaverso” foi popularizado novamente pelo empresário norte-americano Mark Zuckerberg, um dos fundadores do Facebook, rede social mais acessada do mundo. Empresas como a Microsoft, Facebook-META, Nike, Adidas, Disney, NVIDIA, EPIC GAMES e ROBLOX, já estão trabalhando para desenvolver seu próprio Mundo Virtual.

 

O Facebook, por exemplo, lançou recentemente uma plataforma chamada HORIZONS WORKROOM, que simula e torna possível reuniões virtuais através da realidade aumentada. Outro grande exemplo, foi o Show de Travis Scott no Gameplay FORTNITE, onde ele se apresentou AO VIVO durante uma simulação de partida. Marcas como Nike e Adidas, abrem espaço para que seus consumidores tenham mais interatividade com suas marcas e estudam a possibilidade de que as pessoas possam comprar através de seus avatares usando criptomoedas.

 

Atualmente, não existe um único local imerso que seja acessível ao mundo todo e uma das maneiras que é possível viver essa experiência é através do ÓCULUS QUEST, tecnologia desenvolvida pelo Facebook, onde o mesmo funciona sem cabos e permite movimentos livres, conectando-se a mais de 50 jogos de realidade virtual.

 

Bom, é nítido que a raça humana está se tornando um superorganismo capaz de moldar e construir sua identidade através do ciberespaço. A corrida para o Metaverso é cada vez maior e o mundo já está trabalhando e investindo fortemente no futuro da tecnologia.

 

Contudo, existem duas grandes dificuldades para aqueles que estão trabalhando nisso. A primeira é a velocidade da internet, que infelizmente não é veloz o suficiente em todas as partes do mundo e a outra é o fluxo no Banco de Dados.

 

Com mais 7 bilhões de pessoas no mundo e cerca de 4,7 bilhões de usuários com acesso a internet, o desafio é fazer com que o METAVERSO seja um ambiente mais seguro, compatível e acessível a todos. Questões éticas e morais também estão sendo avaliadas, pois com um mundo 100% virtual e online, seremos totalmente monitorados. Portanto, a Política de Privacidade de Dados terá que ser mais redobrada. Então, deixo o questionamento a você, caro leitor: “Será que um dia deixaremos de viver o mundo real para viver o METAVERSO?”

41